Preferencial ou Cara de Pau?

0
145

Um dia desses nas andanças e filas do cotidiano, estava no Supermercado Brettas e deparei-me com uma cena no mínimo, questionável. A fila de atendimento preferencial estava gigantesca e repleta de pessoas que não faziam jus a tal atendimento e muitas até com garrafas de bebidas alcoólicas em mãos.

O mais engraçado é que a partir desse dia, comecei a observar se aquele havia sido ou não um fato isolado. Estive em outra oportunidade no Banco Itau, onde existem  cadeiras para os atendimentos prioritários, onde as pessoas precisam aguardar serem vistas para então serem atendidas, quando não, outras pessoas que não têm nada preferencial estão usando daquelas cadeiras. O pior que vejo no caso do banco, é que boa parte dos aposentados e pensionistas de nossa cidade recebem ali e não existe nenhum tipo de política interna para os dias de pagamento. Logo, o preferencial vira normal e precisa aguardar tanto quanto os outros.

Em outra vez, vi uma mulher que estava se passando por grávida, somente para usufruir do atendimento preferencial, quando na verdade não estava gestante.

Desde outubro de 2000, todas as empresas foram obrigadas a se adequar a Lei 10.048, que instituiu a prioridade de atendimento, demarcando e reservando parte dos atendimentos e vagas a pessoas que necessitam de seus serviços. Inclusive já falei aqui no pode isso sobre a falta de respeito com as vagas destinadas a portadores de necessidades especiais. O problema é as empresas fazem o que mandam a lei, mas geralmente não verificam se as pessoas que estão nas filas preferenciais são ou não as que a lei contemplam. O que podemos ver dia após dia é a falta de respeito de muitos, e quando digo muitos, são muitos mesmo; pois ser um dos que utilizam do título de preferencial não é uma regalia e sim uma necessidade, seja ela momentânea ou permanente.

O fato é que esse tipo de conduta é uma forma de corrupção, pois usa-se de um direito que não lhe é devido. Como podemos então cobrar só do governo, se no nosso dia a dia não somos exemplos? Quem se sentir ofendido então, que comece a passar óleo de peroba na CARA DE PAU e continue pegando a fila errada.

Por Lay Lopes