Esgoto a céu aberto em Formosa, ATÉ QUANDO???

0
33

Mais uma vez somos obrigados a perguntar “que levante a mão aquele que nunca teve em Formosa, a desagradável surpresa de se deparar com um cano de esgoto rompido, exalando seu horrível odor em frente sua residência, casa de um conhecido ou em frente ao trabalho?” Exatamente isso que ocorre frequentemente aqui em nossa cidade.

A implantação da Rede de Esgoto em Formosa começou no  governo do ex Prefeito Tião Caroço. Lá se vão muitos anos e até hoje o serviço não foi concluído e pelo visto ainda vai demorar mais uma década para ficar pronto. Os avanços até agora, resultam muito mais em transtornos, que em benefícios e quem paga a conta da implantação do sistema, é a população, que viram suas contas de água triplicar com inclusão do esgoto.

É bem verdade que quando o sistema de esgoto estava em fase de estudo, muito se falou que canalização de 100 milímetros de espessura era insuficiente para a demanda de dejetos, porém, no funcionalismo público não é assim que as coisas funcionam. Pois o que importa é que a obra aconteça e que o cidadão veja que ela está ali, a sua disposição; caso atualmente ou  futuramente a obra apareça com problemas que saltam aos olhos dos próprios cidadãos, bastam que sejam feitas intermináveis emendas, que nada mais são que paliativos que não resolvem efetivamente o problema.

Na porta da minha casa, rua 12 esquina com a rua 16 Bairro Formosinha o sistema de esgoto  é deficitário e precisa de muita coisa para melhorar, é só chegar os finais de semana que o bendito esgoto começa a borbulhar, deixando a rua 12 que é em um grande declive com um mau cheiro horrível e uma lama preta descendo ruma a Mata da Bica, é  um vazamento de esgoto que não cessa nunca.

Certo que os funcionários da SANEAGO se desdobram e arrumam o vazamento, mas em questão de horas após o conserto, o vazamento retoma. Situação vivida por diversos setores como, por exemplo, na Avenida Formosa  na Formosinha, no Bairro São Vicente, na bifurcação com a rua 29, no Setor Nordeste, na Rua 34, e em tantos outros bairros que poderia citar aqui.

Em alguns pontos recorrentes em vazamento de esgoto, Formosa pode se comparara uma grande fossa séptica, passando em frente a diversas ruas e casas, contaminando pessoas e  animais. Seria melhor se cada casa utilizasse sua fossa, como era nos tempos de nossos avós, pois assim ao menos, cada um cuidaria e daquela que ocupa seu quintal.

Fato é que pagamos muito caro por um sistema pouco eficiente de esgoto, já que o valor pago de taxa de esgoto é correspondente ao do consumo em água e taxas, e alguma coisa precisa ser feita. Não dá para sair de casa cheirando perfume e voltar pra casa exalando odor de detritos.

Com relação as taxas até hoje ainda não entendemos como é possível cobrar várias em uma só fatura.

Exemplo

– Custo Mínimo

-Tarifa de água residencial

-Coleta/afastamento de esgoto residencial

– tratamento de esgoto residencial

Um absurdo o que fazem com o cidadão.

Nosso representante no Poder Executivo disse em entrevista em uma emissora de rádio local no inicio de seu mandato que estaria estudando a possibilidade de rever o contrato com a empresa que detém o direito de exploração do serviço, e que poderia municipalizar esse serviço (água e esgoto) mas ao que parece é um estudo que levará quatro anos ou mais e quando terminar o curso sairá com o diploma escrito “NÃO FOI POSSÍVEL CONCLUIR OS ESTUDOS”. E mais uma vez o cidadão ficará com os custos da conta.

Acredito que também nossos representantes no legislativo, que foram eleitos para buscar soluções aos problemas que afligem nossa comunidade, poderiam se movimentar e deixar as confortáveis cadeiras em seus gabinetes e buscar fiscalizar essa empresa ou a terceirizada que presta esse desserviço ao nosso povo.

Uma sugestão: Uma audiência pública com a participação de alguém das empresas, Ministério Publico, Executivo e sociedade, todos juntos, sem cor partidária, e ali mesmo oferecer denúncia ao Ministério Público, que sendo provocado com certeza irá investigar.

 

Por  Waldemar Maciel

Jornalista