Prefeito corta insalubridade dos Servidores Públicos em Formosa

0
279

Após o pagamento da folha do mês de novembro, os servidores que recebiam a insalubridade foram surpreendidos pelo corte ou pela redução do pagamento do adicional vinculado a porcentagem de 20% que era pago para o servidor em cima do salário base e nesse mês veio calculado pelo salário mínimo.

O adicional de insalubridade é um direito concedido a trabalhadores que são expostos a agentes nocivos à saúde. Para alguns funcionários, esse benefício representa a sexta básica no final do mês.

Os servidores que tiveram o corte ou a redução na insalubridade e trabalham na área da saúde e também no administrativo (garagem) deverão levar os contracheques dos meses de setembro, outubro e novembro junto com cópia do RG, CPF e comprovante de endereço no escritório do Sinprefor em horário comercial para as providências cabíveis.

O corte das horas extras e do adicional de insalubridade não agradou nem um pouco os trabalhadores e trabalhadoras que foram atendidos e orientados pelo advogado Dr. Roberto nesta segunda-feira (04/12) no escritório do Sinprefor.

“A insalubridade não é imutável. Se há uma situação de mudança na estruturação do trabalho, aí pode dizer que não tem insalubridade. Mas, a Prefeitura não tomou medida nenhuma, o trabalho é o mesmo de anos atrás”, afirma um servidor que não quis se identificar para não sofrer represálias.

Com informações: Sinprefor