Chapada dos Veadeiros terá cobrança de ingressos que variam de R$ 3 a R$ 34

0
81
Trip - viagem

Quem quiser visitar o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros terá que desembolsar valores que variam de R$ 3 a 34, a partir desta segunda-feira (8). A concessionária SociParque, que ganhou licitação e cuida do espaço, alega que os valores serão revestidos em manutenção e conservação da unidade.

A taxa de entrada pode ser paga em dinheiro e em cartões de crédito e débito. Veja a abaixo a relação:

  • R$ 3,00 -Moradores de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, Nova Roma, São João d’Aliança e Teresina de Goiás (necessário cadastro)
  • R$ 17,00 outros brasileiros
  • R$ 26,00 residentes de países do Mercosul
  • R$ 34,00 demais visitantes

Os cadastros dos moradores do entorno podem ser feitos de segunda a sexta-feira, das 15h às 17 horas, na bilheteria do parque. São necessários os seguintes documentos:

  • Comprovante de endereço: contas de água, luz, telefone fixo ou móvel, conta de provedor de internet ou TV à cabo constando o endereço de instalação e IPTU. Caso o comprovante não esteja no nome da pessoa, contrato de locação de imóvel com firma reconhecida acompanhado de conta de consumo no nome do proprietário do imóvel, certidão de casamento ou contrato de união estável também serão aceitos.
  • Brasileiros: título de eleitor + documento com foto
  • Estrangeiros: passaporte

Estão isentos do pagamento:

  • Visitantes brasileiros ou estrangeiros que residem no Brasil com 60 anos ou mais
  •  Crianças com até 12 anos incompletos acompanhadas de adultos
  • Estudantes e acompanhantes de estabelecimentos de ensino com visitas pré-agendadas para educação ambiental
  • Populações extrativistas beneficiárias da unidade de conservação
  • Colaboradores ou membros de instituições parceiras colaboradoras do ICMBio
  • Pesquisadores autorizados pelo ICMBio
  • Servidores de órgãos públicos em serviço
  • Guias de turismo regularizados pelo Ministério do Turismo
  • Condutores de visitantes cadastrados de acordo com critérios estabelecidos pela chefia da unidade de conservação

cobrança estava prevista para ter início no último dia 25 de junho, mas foi adiada. “Houve um atraso por conta da implantação do sistema e liberação da inscrição municipal junto a prefeitura. Tão logo tenhamos essa liberação iniciaremos as cobranças”, disse a SociParque em nota à época.

A concessão da manutenção do parque para a iniciativa privada aconteceu em dezembro de 2018. A SociParque, vencedora da licitação, vai gerenciar o espaço por 20 anos. E é responsável pelo controle de acesso, recepção de visitantes, venda de ingressos, alimentação, loja de conveniência, espaço de camping das Sete Quedas e transporte interno.

A estimativa é de que sejam investidos R$ 2,2 milhões. De acordo com o ICMBio, a ideia é aumentar a visitação pública nos parques administrados pelo instituto “melhorando a infraestrutura das unidades de conservação para atender o visitante.”

Moradores da região enxergam a cobrança de entrada no Parque com bons olhos. Em matéria anterior feita pelo Mais Goiás, Murillo Aleixo Bianchini, representante da Associação Comunitária da Vila de São Jorge (AsJor), disse que os valores são mais baixos dos que são cobrados em atrações privadas da região.

Joao Paulo Alexandre

Do Mais Goiás | Em: 08/07/2019